domingo, 29 de agosto de 2010

ETHNO 2010



ETHEREAL e ETHNO:
Nas subdivisões do Darkwave, temos o Ethereal, conhecido por suas melodias lentas e delicadas e seu clima onírico. Pode ter base eletrônica ou acústica, confundindo-se com o Ethno, se explorar ritmos ou melodias Ethnicas, ou seja, rítmos e instrumentos músicas tradicionais de outras culturas (não-européias).
Exemplos: Cocteau Twins, Dead Can Dance, Lycia, Theodor Bastard, Bel Am, Bel Canto, Collection D'Arnell Andrea, Love Spirals Downward, Love is Colder Than Death, This Ascension, Black Tape for a Blue Girl, etc.
É importante lembrar que Ethereal e Ethno não são simplesmente música folclórica, nem apenas "música clássica ou suave" e também não são sinônimos. Apesar de ser comum encontrarmos elementos de Ethno no estilo Ethereal e vice-versa, existem inúmeros trabalhos que são puramente Ethno ou Ethereal. Existem ainda trabalhos que misturam qualquer um destes dois estilos com outros estilos diferentes, como por exemplo, Synth-Pop, Electro, New-Wave e etc.
Muitas bandas deste estilo são classificadas também, em outros contextos ou outras cenas, como Medieval, World Music, New Age, Shoegaze ou Dark-Ambient.
01 - This Ascension-Isabella
02 - Black Tape for a Blue Girl- Across a Thousand Blades
03 - Collection D Arnell Andrea - l Aulne Et La Mort
04 - Bel Canto - Images
05 - Love Spirals Downwards - Write in Water
06 - Love Is Colder Than Death - Song Of Faith
07 - Atman - Serpent power
08 - Bel Canto - Birds Of Passage
09 - Lycia - From foam
Agradeço a todos que estão ouvindo este podcast agora (ou depois...)

Coldwave 2010



Coldwave, quando os franceses começaram a tocar uma sonoridade pós-punk no início dos anos 80, eis que a chamaram de coldwave...acompanhe essa atualização com essa sonoridade fria e melancólica como o inverno é. Undergrounder Podcast...boa música sempre.

01 - Norma Loy - Romance - 1983
02 - South of No North - Lacrimae Christi
03 - Grauzone - Eisbaer
04 - RUTH - Mots
05 - Trisomie 21 - The Last Song
06 - Norma Loy - TVision
07 - Bunker Strasse - My Own Way
08 - Trisomie 21 - La Fête Triste
09 - BAROQUE BORDELLO - L_autre

Agradecimentos:

http://simbologiamaldita.blogspot.com/

Tia Gótica (cadê o blog?)

domingo, 15 de agosto de 2010

Rock Indie 2010


Ilusão Sonora...deixe o preconceito sonoro de lado...Indie rock (ou rock independente em inglês) é um estilo musical que caracteriza bandas que não são lançadas por grandes gravadoras, porém o grande sucesso de algum desses grupos lançaram-nos diretamente para gravadoras de grande porte, embora o som na maioria dos casos, não perca a identidade, fazendo com que tais bandas, mesmo com o sucesso de público e grande repercussão na mídia, sejam consideradas bandas alternativas.


01 - Black Them Boots - Don_t Look Back
02 - Kasabian - Underdog
03 - Bad Veins - Gold And Warm
04 - Interpol - C Mere
05 - Lunaria - Bleed It Out
06 - Gran Ronde - Post Modern Holiday
07 - Myriad Harbour - The New Pornographers
08 - Cinematica - Nothing New
09 - The Movies - Missed Opportunities
10 - Editors - Lullaby (The Cure cover)
11 - Pavement - The Killing Moon (Echo TB Cover)

Indie 2010.mp3

The Batcave


O Batcave foi um bar noturno em Londres, Inglaterra na Rua Meard, Soho. É considerado ser o local de origem da subcultura gótica inglesa. Sendo um dos mais famosos locais de encontro para os primeiros góticos, emprestou o termo "batcaver" usado para descrever os fãs do rock gótico original. O termo Batcave é também usado pelos europeus para se referirem à música gótica com um som proeminente Pós Punk e com atmosferas assustadoras.

O bar abriu em Julho de 1982. Especializando-se em Death Rock e Glam Rock, mais tarde focou-se em Rock Gótico. Ollie Wisdom, o vocalista da banda da casa, Specimen, dirigia o bar com a ajuda de Hugh Jones. Regulares da casa, incluiam-se lendas tais como Robert Smith, Siouxsie Sioux, Marc Almond e Nick Cave.

Mundo afora festas com o tema Batcave acontecem, e aqui no Brasil não poderia ser diferente...

Dedico essa atualização à Isa do ótimo blog Simbologia Maldita http://simbologiamaldita.blogspot.com/ É um blog voltado a arte. A arte que a maioria das pessoas não sabe que existe, não aprecia e/ou não quer saber. seu trabalho é mostrar a arte obscura, seja ela pintura, escultura, ilustração, moda, filme, música, Literatura, etc. Curti.

01 - The Wake - Nazarene
02 - Leitmotiv - Architect
03 - Minny Pops - Time
04 - Malaria - Thrash me
05 - Xmal Deutschland - Zu Jung Zu Alt
06 - Alien Sex Fiend - Dead and Buried
07 - Sex Gang Children - Dieche
08 - Alien Sex Fiend - EST (Trip Too The Moon)
09 - X Mal Deutschland - Hand in Hand

Edição de som, set-list e voz:

Maurilio Santos

oO= Synthpop =Oo


Synthpop o estilo de música em que os teclados e sintetizadores são os instrumentos musicais dominantes. É considerado por muitos como a junção máxima da música eletrônica com o rock, pois diferente de outros grupos de música eletrônica, os compositores de synth-pop (e também de rock industrial) seguem o mesmo ritmo e atuação de uma "banda" comum de rock, tendo os seus fãs devotos, lançando singles, álbuns, se apresentando ao vivo, e fazendo performances com os intrumentos padrões de uma banda: guitarra, baixo, bateria, entre outros.

01 - Alphaville - Sounds like a melody
02 - Final Selection - Fade into you with Lyrics
03 - Split Enz - Poor Boy
04 - DeVision - Your Hands On My Skin
05 - Soft Cell - Tourch (remixed end part)
06 - OMD - Enola gay
07 - Visage - Mind Of a Toy
08 - Final Selection - Tears
09 - Megamix - Human League - Yazoo - Kraftwerk
10 - Depeche Mode - New Life

Aos amigos obrigado pelos comentários.

Set list e voz - Maurilio Santos

Synthpop.mp3

ZENSOR 8!


2010! Após um bom tempo sem atualizações vamos acompanhar a


esta atualização com EBMs e afins em homenagem (8ª) ao

antigo programa Zensor.



01 - Autodafeh - Bodycount

02 - Steinkind - Ich Muss

03 - Vomito Negro - No hope no fear

04 - Assemblage 23 - Spark

05 - Depeche Mode - Enjoy the Silence (EBM Mix by Bludston)

06 - Project Pitchfork - Souls

07 - Patenbrigade Wolff - Volksarmee

08 - Patenbrigade Wolff - Signal

09 - Wolfsheim - Touch

10 - Funker Vogt - Fur Dich



DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/audio/4GZrHXSt/Zensor_8.html

DARKSP

DARKSP

"Ser verdadeiro acima de tudo".

A proposta do Dark SP é divulgar eventos relacionados a cultura alternativa em suas diferentes formas: o Dark, os Anos 80 especificamente, as novidades quando interessantes, os artistas e as bandas verdadeiras sejam elas nacionais ou não é nossa principal proposta.

“Não contribuir de forma alguma” com os que se vendem e “contribuir o máximo possível” com os que não são vendidos.

O dinheiro é preciso, mas não está acima de tudo! O trabalho feito com amor e dedicação fará do retorno financeiro uma conseqüência.

Acreditando nisso, seguimos divulgando sites, revistas, artistas, fãs, covers, eventos e tudo que acharmos interessante aos nossos visitantes, ainda que os divulgados não nos divulguem, pois não temos concorrentes, afinal somos únicos... todos são!!!

Desejamos e precisamos encontrar parceiros e patrocinadores que queiram trilhar conosco esse caminho, novas idéias serão sempre bem aceitas assim como as críticas de fundo construtivo.

Nossas matérias, notícias e opiniões aqui divulgadas deverão mostrar uma forma diferente de enxergar a sociedade e a cultura em geral, dando ao leitor o direito de concordar ou não com elas. Para isso temos um canal via email para críticas e sugestões. O endereço é contato@darksp.com.br

Quando não tivermos propriedade intelectual sobre matérias e ou notícias, nos comprometeremos a divulgar a(s) fonte(s), dessa forma não nos apropriaremos indevidamente de nada que tenha sido publicado ou desenvolvido por outros, porém não podemos deixar de informar. Não nos incomodamos em fornecer qualquer texto ou matéria, pedimos apenas à aqueles que as utilizar, divulgue nosso espaço, ou seja, o Dark SP como "fonte"

Agradecimentos especiais à: Andréa Rosenbaum, Celso e irmãos "de Licio", Paulo Tavares, Juliana Belusci, Rafael Ferreira, Tiago Oliveira (Bueninho), toda minha família, amigos, todos sites parceiros, visitantes fiéis, os sempre na luta Marcelo e Maurillius, Patricia Lobo e acima de tudo, à Deus nosso senhor.

Obrigado!

Flávio Richards

Voz e Set List Maurilio Santos

01 - Poesie Noire - Oblivion
02 - Agrimensor K - Principio Y Fin (1981)
03 - Clan Of Xymox - Crucified
04 - The Frozen Autumn - Guardian Angel
05 - Kas Product - Tina Tow
06 - Autumn's Grey Solace - Cloudburst
07 - Trisomie 21 - The Last Song
08 - Poesie Noire - Pity For The Self
09 - Front 242 - Operating Tracks
10 - Burning house - Rabia Sorda
11 - Electronic Suicide - Ich Wollt (Vanilla Face Edit)
12 - Plastique Noir - Empty Streets
13 - 80s Darkwave Mix
14 - 80s Darkwaves and Spanish Darkwaves



DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/audio/2CZTI9Hu/Undergrounder_Podcast_DARKSP.html

domingo, 1 de agosto de 2010

John Hughes

O cineasta John Hughes, faleceu de ataque cardíaco, aos 59 anos em agosto de 2009, ao caminhar em Manhattan. Nunca foi um dos favoritos da crítica especializada, que considerava sua obra oportunista, superficial e comercial demais. É verdade que, depois de descobrir um “filão” no segmento adolescente, ele nunca mais abandonou a receita, emplacando sucessos como “Clube dos cinco”, “Gatinhas e Gatões”, “Mulher Nota 1000”, Alguém Muito Especial e o inesquecível e unanimemente festejado “Curtindo a vida adoidado”.
Mas também é verdade que, mesmo bobinhos e comerciais, seus filmes marcaram os jovens da década de 80, o suficiente para que pelo menos um deles se transformasse em cult de geração...ainda não conheci ninguém na minha faixa etária que não vibre ao lembrar “Curtindo a vida adoidado”, principalmente a clássica cena em que Matthew Broderick dança e dubla John Lennon em “Twist and Shout” , de cima de um carro alegórico e o cultuadíssimo Garota Rosa Shocking.
Separei essa seleção organizada por filme, confira:
A - 1986 - Pretty in Pink : A Garota de Rosa Shocking
A1 - Echo And Bunnymen - Bring on the Dancing Horses
A2 - Psychedelic Furs - Pretty In Pink
A3 - Suzanne Vega - Left Of Center
A4 - OMD - If You Leave
B - 1986 - Ferris Bueller's Day Off : Curtindo a Vida Adoidado
B1 - The Dream Academy - Please Please Please Let Me Get What I Want
B2 - The Smiths - Please Please Please Let Me Get What I Want
B3 - Twist and Shout (the Beatles) - Ferris Bueller_s Day Off
B4 - Sigue Sigue Sputnik - Love Missile F1-11
C - 1985 - The Breakfast Club : Clube dos Cinco
C1 - Simple Minds - Dont You Forget About Me
Abertura e encerramento:
Breakfast Club Soundtrack - Love Theme (Instrumental)
D - 1987 - Some Kind of Wonderful - Alguém Muito Especial
D1 - Jesus And Mary Chain - The Hardest Walk
D2 - Flesh For Lulu - I Go Crazy
D3 - Can_t Help Falling (Ceili version) Lick the Tins
E - 1984 - Sixteen Candles : Gatinhas e Gatões
E1 - Gene Loves Jezebel - Desire
Voz e edição de som: Maurilio Santos
Sugestão do tema: Corina


Undergrounder John Hughes 09-09.mp3

DEPECHE MODE

 Tudo começou na cidadezinha de Basildon no condado inglês de Essex, quando um garoto de 16 anos chamado Martin Gore colecionador de compactos e fã de Bryan Ferry comprou um teclado. O segundo passo foi chamar dois ex-colegas de escola Andrew Fletcher e Vince Clarke que dividiam seu tempo entre empregos aborrecidos e uma banda chamada No Romance In China, especializada em covers do Cure.
Ainda sem um nome definido o trio foi visto por Daniel Müller fundador do selo independente Mute Records, abrindo um show da banda Fad Gadget em Dezembro de 1980, e convidou o grupo para participar de uma coletânea o LP tinha o nome de Some Bizarre Álbum que reuniam grupos novatos, entre eles B-Movies, Blancmange, The Fast Set, The The e Soft Cell. A faixa escolhida foi “Photographic”.
A primeira apresentação do grupo aconteceu na escola Saint Nicholas onde Martin Gore e Andrew Fletcher estudavam. Logo depois gravaram uma fita demo e enviaram para todos os clubes de Londres onde conseguiram uma vaga para tocar no Bridgehouse Club num evento batizado de "Noite Futurista". Só faltava um vocalista e um nome. David Gahan um ex-punk e estudante de estilismo trouxe a voz e um nome retirado de uma revista de moda francesa algo como depressa moda ou moda passageira - Depeche Mode. A maior duvida de seus integrantes era abraçar o pop deslavado ou a experimentação eletrônica. O grupo passou os anos 80 atormentados entre a descartabilidade e a eternidade. O lançamento de Speak & Spell encontrava o Depeche Mode em condição de sucesso garantido, a decepção foi a saída de Vicent Clarke pouco antes da primeira turnê Britânica, Clarke abandonou o Depeche Mode, por motivos até hoje não muito claros, Clarke se revelaria um ótimo compositor e mais tarde com Andy Bell formaram o Erasure. Não deu outra em setembro de 1981 "Just Can't Get Enough" explode nas pistas de dança do mundo inteiro, uma das poucas letras assinadas por Clarke. Com a saída que Clarke, o Depeche Mode abriu as portas para Alan Wilder que achou o Depeche Mode nas paginas de um classificado do seminário Melody Maker.
A primeira turnê americana logo depois do lançamento de A Broken Frame em 1982, explodiu em popularidade no EUA, aos poucos o som da banda começou a mudar, o tecnopop começou a receber influência do rock industrial no álbum Constrution Time Again é considerado um divisor de águas na história da banda, quando ela entra definitivamente no cenário musical, com composições mais obscuras, profundas e sonoramente mais industrial. Nesse álbum em que o Depeche Mode começou a amadurecer vertiginosamente, caindo em uma depressão romântica e obscura que seria fundamental no próprio estilo da banda.
Some Great Reward de 1984, traz a tona faixas como People Are People é um dos principais singles da carreira da banda, sendo um mega-sucesso nos E.U.A. e Reino Unido, alcançando a posição 13 e 4, respectivamente. No entanto, não é uma das musicas favoritas da banda, por ser muito comercial, e também é a que o compositor Martin Gore menos gosta, por sua mensagem ser explícita demais.
Em contrapartida, Master And Servant é bem menos comercial, tratando de sado-masoquismo e abusos morais com um clima dançante e forte; foi censurada nos E.U.A., mas a pressão foi grande dos ouvintes em cima das rádios e acabou sendo liberada. Blasphemus Rumours outra faixa de sucesso, disco de platina nos Estados Unidos, foi uma reflexão a partir da religião até o suicídio de uma garota, a musica causou represaria por parte de organizações conservadoras, nesta ocasião Andrew declararia a imprensa:
" Nos não fazemos musicas somente para dançar. "
As turnês mundiais se estendiam e no Japão quase se tornaram uma religião e trouxeram na bagagem o disco Black Celebration, o primeiro lançado no Brasil na época. É um dos melhores da banda pelos críticos e fãs, devido a mudança definitiva da banda para uma natureza gótica, sombria e depressiva. Um disco pesado emocionalmente com musicas sombrias onde a sonoridade eletrônica tem identidade forte.
O álbum não trouxe nenhum grande sucesso, mais é cheio de singles que a grande maioria dos fãs consideram favoritos, como Stripped, A Question Of Lust, A Question Of Time e Black Celebration.
Em 1986 eles gravam Music for the Masses e explodem novamente nas pistas de dança com StrangeLove e Behind the Wheel.
Foi a primeira vez que o Depeche Mode usou uma guitarra. Esse álbum marca o que foi considerado pela crítica um verdadeiro "salto musical". Á partir deste, o Depeche Mode quebrou barreiras, se estabeleceu como um dos maiores representantes da música eletrônica e um dos mais influentes grupos alternativos da sua época.
O álbum fez um estrondoso sucesso nos Estados Unidos e espalhando a fama da banda pelo mundo definitivamente. Foi considerado um álbum bastante experimental e ainda um dos melhores dos anos 80, também devido à decisão do Depeche Mode de abandonar os samplers e partir para um som mais experimental, usando sintetizadores analógicos. Esse álbum é constantemente citado como uma grande inspiração para a emergente música eletrônica do início dos anos 90 e até mesmo bandas de Rock Smashing Pumpkins e Deftones admitem terem sido fortemente inspirados pela banda e por esse álbum em especial.
Com 10 anos de carreira, Violator é o álbum do Depeche Mode, de 1990, disco é lembrado como a obra-prima da banda, um dos mais importantes da música eletrônica e um dos melhores da história, com uma variedade de músicas muito bem aproveitada, arranjos diferentes e inspirados com uma composição sólida de ambas as letras e harmonia.
O álbum foi a maior de todas as transformações sonoras da banda, abandonando definitivamente o Synth Pop e samplers dos anos 80 e se dedicando a sintetizadores analógicos em prol de uma espécie de "Rock eletrônico dançante", que posteriormente seria chamado de Synth Rock. É um dos mais influentes álbuns do Depeche Mode, inspirando bandas como Pet Shop Boys e Smashing Pumpkins.
Nunca um álbum de música eletrônica havia causado tanto frisson e alcançado tamanha popularidade assim desde Music For The Masses do mesmo Depeche Mode e Power, Corruption and Lies do New Order. Todos os seus singles fizeram um enorme sucesso e se tornaram clássicos instantâneos do grupo. É um álbum chave na história da música eletrônica, já que no mesmo ano a "Dance Music" explodiria no mundo todo, com Depeche Mode quase pastoreando o fenômeno.
A música Personal Jesus virou uma mania no mundo todo e é constantemente colocada entre as melhores de todos os tempos, como um importante single, best-seller e uma faixa de ótima qualidade. Tem uma batida country, energia contagiante e fortíssima composição.
O Mega-Hit do álbum, na verdade, é Enjoy The Silence, uma das mais populares músicas do Depeche Mode e colocada como uma das rainhas da Música Eletrônica, ao lado de Bizarre Love Triangle do New Order, Robots do Kraftwerk e West End Girls, dos Pet Shop Boys.
Agora pare respire fundo e esqueça tudo o que você já ouviu sobre os magos da sofisticação eletrônica, sim o Depeche Mode é rock, Songs of Faith and Devotion é a primeira vez que o Depeche Mode usou uma bateria acústica, sendo um álbum muito importante na história da banda por causa das várias influências de rock pesado, grunge e até gospel em suas letras e ritmos, contando com a presença de duas ótimas Backing Vocals.
É bastante inovador e fez um grande sucesso no mundo todo, tomando de assalto o primeiro lugar tanto nos Estados Unidos (na Billboard) quanto no Reino Unido, também disco de platina nos E.U.A. Um disco suave religioso e introspectivo. Desde seu nascimento em 1981 o Depeche Mode foi classificado e reconhecido pelo seu trabalho que aliou o romantismo e uma sonoridade eletro pop. O novo disco é bastante diferente, Martin Gore obcecado por letras que falam de sexo e religião, escreveu sobre o pecado, piedade, dor e absolvição. "Nunca fui cristão, mas sempre senti atração pela crença", conta Martin Gore. O vocalista David Gahan salientou que a intenção do álbum foi "levar as pessoas a encontrar o espiritualidade".
Lançou os sucessos I Feel You, Walking In My Shoes, Condemnation, Rush e In Your Room.
Foi apoiado pela Devotional Tour, a maior turnê do Depeche Mode até hoje. Nessa época, o sucesso da banda era gigantesco e os colocava no top das bandas alternativas. A turnê foi tão bem sucedida que teve que ser estendida e seu palco alterado, dando origem a Exotic Tour que contou com duas grandes apresentações no Brasil em 1994 e a Summer Tour, exclusiva dos norte-americanos, com shows tomando todo o verão. Foram 14 meses de turnê e aproximadamente 159 shows.
Para quem se chama moda passageira, os 17 anos são um desafio. Em 1997 o Depeche Mode chegou lá. Para que tentou se suicidar nós últimos 2 anos 2 vezes e depois das crises depressivas por causa da heroína, e sim chegou ser declarado clinicamente morto por 2 minutos sabe se la como voltou a vida depois de uma overdose de cocaína e heroína juntas, David Gahan está cantando como um Pavarroti da pop music. Depois de perder um dos seus principais integrantes Alan Wilder que deixou a banda devido o desgaste entre as relações, renascido das agulhas, David Gahan resolveu, então, seguir o exemplo de tantos outros roqueiros, juntou-se aos dois companheiros remanescentes, Martin e Andrew juntos desde formação da banda ajudaram a dar um toque de caráter e seriedade além de elegância ao contestado tecnopop dos anos 80. Uma década depois eles chamam o Bad Boy das pick ups Tim Simenon, o Bomb the Bass em carne e osso para produzir uma obra mais uma vez elegante e inspirada. A dance music do Depeche Mode não se restringe apenas as pistas de dança. Profunda as vezes até depressiva é uma ótima musica para o fim de noite. ULTRA. O seu lançamento foi marcado com certa tristeza e ao mesmo tempo, desconfiança dos fãs em relação à qualidade do álbum. Mas na verdade, é mais outro excelente material da banda e um álbum marcante na história do Depeche Mode, sendo esse o mais sombrio e pesado álbum da carreira da banda. Disco de Ouro no Brasil, enfim o Depeche Mode renasce das cinzas e traz a musica eletrônica novamente a um patamar único de genialidade.
Precursores da cena eletrônica e tendo influenciado meio mundo, de góticos a nu-metal, os ingleses do Depeche Mode são uma das pouquíssimas bandas dos anos 80 que não caíram no ridículo. Continuam lançando discos que, mesmo não sendo mais tão inovadores quanto os anteriores, continuam excelentes. Exciter é uma surpresa bem-vinda, considerado pelos fãs o acústico do Depeche Mode e pela critica considerado o melhor disco da banda desde o indispensável Violator aprimorando mais o seu som eletrônico-soturno, a banda mantém-se atual sem cair em clichês, o vocalista Dave Gahan continua injetando dramaticidade na dose certa em todas as músicas, com sua voz magnífica os arranjos e letras de Martin Gore são de bom-gosto, um álbum elegante. Desde “Dream On”, a faixa de abertura, nada é gratuito em Exciter. Um disco calmo equilibrado cheio de faixas calmas, mas de qualidade auditiva indiscutíveis, e que só lembra o velho Depeche Mode na faixa mais eletrônica e agitada, Free Loved.

Com 25 anos na estrada e mais de 90 milhões de álbuns vendidos, em 2005 o Depeche Mode declara-se "energizado e revigorado" Playing The Angel foi criado mais rápido que os dois últimos CDs da banda e, pela primeira vez, inclui três faixas escritas por Gahan. Outro fato inédito é que o produtor Ben Hiller co-produziu o disco com os integrantes do grupo.
Robert Smith do The Cure fez uma "brincadeira" com a banda da qual é fã declarado e declarou no site oficial do The Cure que iria processá-la devido ao suposto plágio da criatura da capa de Playing the Angel em relação ao seu álbum Boys Don't Cry, mas era só uma peça de primeiro de abril.
Suffer Well e Precious ficaram em primeiro lugar na parada "US Dance Hot Club" da Billboard, sendo que Suffer Well foi indicada ao Grammy por "Melhor Gravação Dance" em 2006.
Ainda em 2006 Depeche Mode levou o prêmio de melhor Banda no MTV Europe Music Awards Andrew Fletcher esteve lá para receber o prêmio que foi conquistado graças aos milhares de fãs que elegeram pela internet o Depeche Mode como a melhor banda de 2006.
A disputa não foi nada fácil, pois concorriam com as bandas The Black Eyed Peas, Red Hot Chili Peppers, The Pussycat Dolls e Keane.
"Sounds Of The Universe" lançado este ano, não traz maiores reminiscências do início da carreira do Depeche Mode. Dave Gahan, Martin Gore e Andrew Fletcher continuam sombrios, com letras depressivas e resvalando no rock industrial. Mas, peraí... Isso não é uma crítica. Em "Sounds Of The Universe", o Depeche Mode se mostra o verdadeiro... Depeche Mode.
O diferencial de um grande artista é saber se atualizar, fazendo trabalhos originais sem perder a sua essência. E o Depeche Mode, certamente, é a banda que melhor consegue fazer isso atualmente. "Sounds Of The Universe" é sombrio. Mas qualquer um vai notar que ele é o caminho natural que a banda está trilhando. A música continua para as massas. Mas agora as massas já estão acostumadas - e sabem o que esperar .Em "Sounds Of The Universe" é fácil observar porque o Depeche Mode, quase 30 anos após a sua fundação, permanece tão influente. Diferentemente de diversas bandas que surgiram nos anos 80 - algumas em atividade até hoje - Martin Gore e companhia sabem se atualizar sem perder a essência, ao invés de requentar estilos e sonoridades antigas para agradar aos saudosistas, o Depeche Mode se transforma e apresenta canções novas e originais, sem qualquer ranço de nostalgia.
A sonoridade e os timbres alcançados em "Sounds Of The Universe" beiram o fantástico em alguns momentos.
O primeiro single do álbum, "Wrong", por exemplo, mostra um Depeche Mode simples, mas, ao mesmo tempo, cheio de referências, ao misturar os sintetizadores típicos de seus trabalhos iniciais a algo mais pesado e sombrio que transita entre "Songs Of Faith And Devotion" (1993) e "Exciter (2001). "In Chains", com os seus barulhinhos, é outro grande destaque, que segue o mesmo nível de "Wrong".
Com quase 30 anos de carreira a moda passageira talvez seja uma das a bandas com um dos fãs mais fiéis da musica, se alto denominam devotos, por que Depeche Mode ultrapassa em muitos momentos a admiração e vira uma religião a Tour do álbuns Sounds of the Universe, denominada Tour the Universe, será o show que veremos em Buenos Aires com certeza será um espetáculo único e imperdível, o Depeche Mode pode provar que é como os bons vinhos.
01 - Just Can't Get Enough ( live ) - Erasure
02 - Just Can't Enought - Depeche Mode
03 - World in My Eyes - The Cure
04 - World in My Eyes - Depeche Mode
05 - Waiting For The Night - Portishead
06 - Waiting for the Night - Depeche Mode
07 - Never Let Me Down Again - The Smashing Pumpinks
08 - Never Let me Down Again - Depeche Mode
09 - Master & Servant - Nouvelle Vague
10 - Master and Sevant - Depeche Mode
11 - Enjoy The Silence - Tanghetto
12 - Enjoy the Silence - Depeche Mode
13 - Enjoy The Silence - Originally Per
Voz,texto e set list: Luis Fernando
Edição de som & Imagens: Maurilio Santos



http://www.4shared.com/audio/vHcy3C8j/Depeche_Mode_Undergrounder.html

Ethereal 3


Dream pop é um tipo de rock alternativo que teve origem na Grã-Bretanha em meados dos anos 1980, quando bandas como Cocteau Twins, The Chamaleons e Slowdive e outras diversas, fusionaram o pós-punk e etéreo com experimentos sonoros diferenciados e diversos,com vocais (masculinos ou femininos) sussurrados com letras introspectivas e existêncialistas sobre a nossa natureza humana. Confira esta seleção de Dream Pop com um pouco de Ethereal...
“O CANTO ESTÁ LIGADO AO MISTÉRIO DA VIDA HUMANA, O ARTISTA NÃO É NENHUM PALHAÇO QUE DIVERTE GRATUITAMENTE O ESPECTADOR. E SIM UM PREDESTINADO, EXTREMAMENTE ÚTIL À HUMANIDADE“
VILLA-LOBOS.
01 - Slowdive - When The Sun Hits
02 - Clan Of Xymox - Louise
03 - Lycia - Broken Days
04 - Slowdive - Catch the Breeze
05 - The Chameleons - Tears
06 - Autumn s Grey Solace - Shades of Grey
07 - Cocteau Twins - Carolyn's fingers
08 - Tearwave - Dream Bliss
09 - The Sundays - Love
10 - Mazzy Star - Happy
11 - Old Magic Pallas - Raindrops
Voz abertura: Priscila Iogolia
Edição de som: Maurilio Santos
Undergrounder Podcast, boa música sempre.
Audio ou download em:



http://www.4shared.com/audio/NsIiZN44/Underground_Ethereal_3.html

Ethereal 2

Etéreo, gótico, dark-wave ...Esqueça essas classificações. E pense em música. Apenas em música. Canções... Forjadas a partir do silêncio vivo, da pausa que pulsa, de finas lâminas de acordes suaves, muito suaves. Acordes que se entrelaçam ao corpo/alma como se o abraçasse e a conduzisse a um entorpecimento onírico, a uma perfeita e nítida sensação de se estar em sonho quando mesmo acordado. Uma música que se apropria de melodias tristes, talvez as mais tristes um dia já executadas, mas que antes de tudo encantam pela beleza de seus contornos macios e de suas nuances clássicas. Violinos, cellos e pianos em arranjos cintilantes. Vocais e cores irretocáveis. Sons e efeitos hipnóticos.
Por vezes a suavidade é irrompida pelo pulsar forte de uma percussão ou pelo agudo “acorde!” de uma guitarra. Mas a suavidade logo retorna e se faz maior. E novamente a alma é reconduzida às paisagens plácidas...afinal foi possível beijar o mundo dos sonhos por alguns delirantes minutos.

Leonardo Saraiva

01 - Autumn's Grey Solace - Cloudburst
02 - Clan Of Xymox - Crucified
03 - Collection d Arnell Andréa - Verdun Live
04 - Trisomie 21 - The Last Song
05 - Dead Can Dance - The Ubiquitous Mr Lovegrove
06 - Opera Multi Steel - Cathédrale
07 - Orchestral Manoeuvres In The Dark -Statues
08 - Cocteau Twins - Crushed
09 - Autumn's Grey Solace - Still
10 - This Mortal Coil - Song To The Siren
11 - Tearwave - Under The Milky Way
12 - Love Spirals Downwards - Illusory me
13 - Trisomie 21 - La Fête Triste



http://www.4shared.com/audio/gyxiX0pi/Underground_Podcast_Ethereal_2.html

Viagem Sonora

Viagem no tempo se refere ao conceito de mover-se para trás e para frente através de pontos diferentes no tempo, em um modo análogo à mobilidade pelo espaço. Algumas interpretações de viagem no tempo sugerem a possibilidade de viajar através de realidades paralelas. A possibilidade real de uma viagem no tempo é, hoje em dia, praticamente nula do ponto de vista prático, devido ao fato de que as partes responsáveis pela descoberta de meios para se efetuar uma viagem temporal não terem conseguido ainda produzir a tecnologia capaz de possibilitar a viagem, porém temos a música...que possibilita uma viagem no tempo perfeita...Underground Podcast apresenta : Viagem Sonora!!!

01 - Cocteau Twins - Lorelei
02 - Earthbound - Dark Orange
03 - Siouxsie & the Banshees - The Hall Of Mirrors
04 - The Sisters Of Mercy - Flood I
05 - Echo & the Bunnymen - Lips Like Sugar
06 - The Cure - Pictures Of You
07 - Depeche_Mode_-_Route_66
08 - New Order - Touched by the Hand of God
09 - Vega4 - You and me
10 - The Veil - Manikin
11 - Massive Attack - Teardrop
12 - Bel Canto - A Shoulder to the Wheel
13 - The Cranberries - Dreams
14 - U2 - Bad

Voz: Priscila Iogolia
Edição de som: Maurilio Santos
Divulgação: Fabiana Abreu



http://www.4shared.com/audio/JFEo5shQ/Undergroun_Podcast_Viagem_Sono.html

Ethereal

Em outubro de 2008 atualizamos o Underground Podcast com essa visita ao puro, sobrenatural, perfeito e obscuro som "Etheral" com bandas anos 80 e 90 e seus vocais femininos, reviva agora essa experiência aqui no Undergrounder.
Seu canto parece por vezes melopéias de sereias, o chamado de Loreleis, ou os lamentos profundos e desesperados de uma banshee céltica, sem contudo perder o charme minimalista que dá a classe ao estilo.
E quando o canto de sereia se deita sobre a teia sonora tecida por sons acústicos, eletrônicos e inimagináveis que sempre acompanham as canções e formam uma rede só, aí então é que o estilo faz jus ao nome.

Kas Product - Tina Town
Cocteau Twins - Wax And Wane
Section 25 - Looking From A Hilltop
Anne Clark - Sleeper in Metropolis
Pink Industry - Extreme
Individual Industry - Eyes rmx
Pink Industry - The Corpse
X-Mal Deutchland - Boomerang
Siouxsie & The Banshees - Happy House
The Sundays - Here's Where The Story Ends
The Cranberries - Twenty One
Arcade Fire - Haïti
PJ Harvey - Big Fish Little Fish
Pink Industry - Pain Of Pride (abertura e encerramento)
"Como o ser humano um dia fez uma pergunta sobre si mesmo, tornou-se o mais ininteligível dos seres".
Clarice Lispector
Voz: Corina
Edição de som: Maurilio
Divulgação: Marcelo Machado
Apoio Técnico: Priscila Iogolia

ETHEREAL Corina.mp3